Neurologia

Diagnóstico em Neurologia

 

O sistema nervoso é praticamente inacessível à observação direta, podendo ser acessado apenas através da interpretação de manobras específicas. Curiosamente, em nenhum outro campo da Medicina é possível localizar uma lesão, de forma tão exata, como na Neurologia.

 

Ela é, portanto, a mais intrincada das especialidades médicas. Naturalmente, é preciso conhecimento anatômico e fisiológico do sistema nervoso  e conhecer suas variáveis diante dos  processos patológicos com clareza para que tais descobertas sejam feitas.

 

A avaliação neurológica inicia-se na sala de espera, onde o médico observa a facies do paciente, sua postura, sua forma de levantar-se, sua estática e sua marcha ao entrar no consultório. Ao fazer essas coisas, sem o paciente saber que está sendo observado, o médico já recolhe pistas importantes.

 

Escuta-se detidamente a história do paciente, prestando-se atenção ao início dos sintomas e evolução e, à seguir, segue-se o exame neurológico. Neste momento, ao unir sinais e sintomas, o neurologista deve ser capaz de formular um diagnóstico sindrômico.

 

Então uma pergunta deve gritar na cabeça do neurologista: Onde está a lesão?

Eis o segundo passo da metodologia diagnóstica, o diagnóstico topográfico. Deve-se, nesse momento, utilizar a expertise, para que, com os dados coletados, raciocinar anatomica e fisiologicamente e localizar a lesão no sistema nervoso.

 

Com esse dados em mãos: queixa do paciente, instalação e curso do sintoma, estado de saúde atual, história patológica pregressa, história social, antecedentes familiares, diagnóstico síndrômico e topográfico, o médico deve, então, formular diagnósticos diferenciais e hipóteses diagnósticas.

 

Partimos, finalmente, para a última parte da metodologia diagnóstica em neurologia, o diagnóstico etiológico. Para confirmar ou esclarecer hipóteses diagnósticas solicitam-se exames complementares. Que não devem ser solicitados sem uma hipótese, uma vez que podem servir mais para confundir do que para aclarar.

 

Diagnóstico em neurologia é uma prática artesanal, pessoa-pessoa, alcançada através da interpretação de uma história e um exame físico bem feitos. As novas técnicas, principalmente a Ressonância, revolucionou a Neurologia, uma vez que permite fazer uma "autópsia da pessoa em vida", mas seu uso deve ser integrado à metodologia, sem pular etapas, sob risco de incorrer em erro.

Clínica Bacelar © 2014 | Todos os Direitos Reservados

Sua mensagem foi enviada com sucesso!

Em breve entraremos em contato diretamente em seu e-mail, ou através do telefone de contato informado.

Obrigado pela preferência!

Atenciosamente,
Equipe Clínica Bacelar

Dados inválidos. Por favor, tente novamente.

Solicitação de Contato

Não conseguiu contato via telefone?
Deixe seus dados que retornaremos assim que possível:



Obrigado! :)

Mensagem enviada com sucesso!

Em breve faremos contato.

Atenciosamente,
Equipe Bacelar

x