Avaliação Neuropsicológica

A avaliação neuropsicológica como testagem ou exame neuropsicológico é um exame não invasivo que permite avaliar com maior detalhe o desempenho do funcionamento cerebral e suas funções cognitivas. É uma interação entre psicólogo e paciente onde ocorrerão entrevistas e aplicação de testes, extremamente útil para a prática clínica do neurologista, do psiquiatra e do psicólogo pois ela tem como objetivo central identificar e avaliar a gravidade de alterações cognitivas, proporcionando uma análise qualitativa e quantitativa das conseqüências desses déficits no funcionamento diário de cada indivíduo. 

 Como ocorre a avaliação?

A mecânica do exame acontece ao longo de 5 a 7 sessões no total. Em regra geral a avaliação neuropsicológica contempla as seguintes etapas:

Entrevista Inicial – visa, entre outros aspectos, colher a história clínica da pessoa e ouvir os relatos da família relativa às mudanças que têm observado no seu familiar recentemente. A ideia é colher informações que permitam contextualizar o desempenho do indivíduo nas suas atividades diárias. É importante obter o histórico familiar do paciente relacionado a queixa apresentada.

Aplicação de testes – os psicólogos dispõem de um conjunto de instrumentos para estudar as “funções cognitivas superiores” (como memória, atenção, raciocínio lógico, fluência verbal, velocidade do fluxo de pensamento, entre outras) que podem ir desde o uso de testes neuropsicológicos, baterias de inteligência a diferentes escalas de avaliação de sintomas cognitivos e comportamentais. Comparam-se as respostas dadas pela pessoa avaliada com as do grupo normativo (conjunto de pessoas saudáveis com escolaridade e idade semelhantes) para averiguar se estamos perante um quadro patológico, normativo ou superior ao padrão (em casos de altas habilidades).

Devolução do laudo – 15 dias após a última aplicação dos testes selecionados (a antecipação da entrega do laudo pode ser solicitada diretamente ao profissional e será avaliada a viabilidade pelo mesmo), gera-se um laudo da avaliação neuropsicológica. Essa consulta final destina-se a explicar à pessoa e à sua família o significado dos resultados da avaliação e a sua implicação no dia-a-dia. O objetivo não é comunicar um diagnóstico (essa é uma competência do médico responsável) mas sim descrever o perfil cognitivo e emocional da pessoa e fornecer-lhe estratégias para ultrapassar quaisquer limitações que possam existir.

 

 Implica algum tipo de preparação?

A avaliação neuropsicológica não exige nenhuma preparação especial, apenas é necessário que a pessoa a ser avaliada ou o seu familiar consiga comunicar seu histórico clínico e pessoal e responder às perguntas do psicólogo. Nas sessões de testagem é importante informar previamente ao profissional  se houver qualquer intercorrência (como insônia na noite anterior, nervosismo associado a fatores externos, entre outros) que possa influenciar no padrão de resposta testado.

Informações clínica relevante (ex: relatórios e encaminhamento médicos ou escolares, exames de imagem, medicação atual) para que  possam ser integradas no relatório de avaliação neuropsicológica devem ser entregues na primeira entrevista.

É importante dormir bem na noite anterior e não estar em jejum ou com fome no momento da avaliação, pois estes fatores podem limitar a capacidade de pensamento.

Recomenda-se que leve óculos ou aparelho auditivo, caso faça uso desses instrumentos.

Finalmente, é aconselhável que a pessoa a ser avaliada se faça acompanhar na entrevista inicial de alguém com quem conviva frequentemente, pois o testemunho dela poderá ser importante.

 

Algumas indicações da Avaliação Neuropsicológica:

O exame neuropsicológico é indicado em diferentes situações clínicas, em todas as faixas etárias: crianças (na clínica dispomos da bateria de inteligencia WISC-IV validada para crianças a partir de 6 anos), adolescentes, adultos e idosos. Geralmente a avaliação neuropsicológica é requisitada pelo médico, mas também pode ser solicitada pela escola ou por profissionais de saúde/educação envolvidos no atendimento  quando se trata de um exame infantil para nortear o trabalho desenvolvido pelo corpo profissional. Através da avaliação neuropsicológica podemos contribuir na investigação e estabelecimento de um diagnóstico clínico e traçar o perfil cognitivo nos casos em que já exista um diagnóstico clínico. 

Avaliação e diagnóstico de Doença de Alzheimer;

Avaliação e diagnóstico diferencial das Demências;

Avaliação de déficit cognitivo associado a idade (Comprometimento Cognitivo Leve);

Avaliação de alterações cognitivas nos quadros de AVC, TCE, neuro-infecções e tumores cerebrais;

Distúrbios cognitivos associados ao uso e abuso de álcool e/ou outras drogas;

Alterações de cognição nos Transtornos de Humor (ex: Depressão) e nos Transtornos de Ansiedade (ex: Transtorno Obsessivo-Compulsivo);

Distúrbios cognitivos associados a doenças da tireóide;

TDAH (transtorno de déficit de atenção/hiperatividade);

Transtornos de Aprendizado e Leitura;

Discalculia;

Transtorno de Oposição Desafiador;

Atraso ou Deficiência Intelectual;

Altas Habilidades;

Outros.

CONSIDERAÇÕES FINAIS
Atualmente, avaliação neuropsicológica é a melhor forma de avaliar a cognição e um exame obrigatório na diagnóstico das demências segundo o National Institute of Neurological Disordes and Stroke - EUA.

Alguns déficits que não são evidentes ao exame clínico, mas que comprometem o funcionamento diário do indivíduo, podem ser identificados no exame neuropsicológico.

Vale ressaltar que todas as informações e achados só podem ser entendidos dentro de um contexto individual de cada paciente, no qual considera-se a idade do paciente, tempo de estudou e sua história de vida.

Além de se constituir em instrumento importante de diagnóstico, a avaliação neuropsicológica é útil no estudo dos transtornos e patologias progressivas e na avaliação de resposta à terapêuticas medicamentosas, psicossociais e cirúrgicas. A avaliação infantil funciona também como recurso para orientar profissionais e pais envolvidos na educação de crianças que apresentam padrões de funcionamento não normativo, uma vez que evidencia aspectos relacionados a aprendizagem. 

Clínica Bacelar © 2014 | Todos os Direitos Reservados

Sua mensagem foi enviada com sucesso!

Em breve entraremos em contato diretamente em seu e-mail, ou através do telefone de contato informado.

Obrigado pela preferência!

Atenciosamente,
Equipe Clínica Bacelar

Dados inválidos. Por favor, tente novamente.

Solicitação de Contato

Não conseguiu contato via telefone?
Deixe seus dados que retornaremos assim que possível:



Obrigado! :)

Mensagem enviada com sucesso!

Em breve faremos contato.

Atenciosamente,
Equipe Bacelar

x